Me descobri poesia

22/08/2017

Imagem: Pinterest
   Quando era mais nova eu tinha a sensação que prestava atenção em coisas que ninguém mais ligava. Era vulnerável demais às situações que eu passava e isso geralmente me empurrava para algum lugar – ou melhor, sentimento. Tudo era sempre intenso em mim, inquieto demais, por isso desde cedo foi importante que eu aprendesse sobre autocontrole e resiliência.

   Por um longo tempo foi um sufoco lidar com as minhas facetas. Eu não sabia encarar a minha intensidade. E o pior, me culpava por ela. Não entendia por que cargas d’água tinha que sentir tudo daquela forma.

   Sujeita a reparar nos detalhes e ver o que tá ali, por entre as entrelinhas. Sensitiva, com sentimentos muito fortes. A forma como as pessoas e o mundo acontecem é o meu fascínio e eu fico ali refletindo sobre tudo o que vejo. E foi amadurecendo que eu aprendi que isso nada mais é que a poesia dentro dos meus olhos. Sou sujeita a emoções assim, para poder falar sobre sentimentos.

   Foi assim que eu escrevi um texto pela primeira vez. Depois de um desentendimento com duas das minhas melhores amigas e já não aguentava ouvir que meus sentimentos eram drama. Então eu só escrevi e não parei mais. Hoje fazem seis anos que publiquei meu primeiro texto. Sei anos escrevendo saídas.

   Eu nasci pra sentir demais, para que todas as situações na qual eu passasse se tornassem, no fim, respostas. Às vezes a gente sofre pra aprender e poder ir contar a outra pessoa a resposta pra que ela não sofra tanto quanto nós. Antes era complicado, mas hoje eu desejo mais que qualquer coisa preservar essa sensibilidade dentro de mim. Isso que é tão meu.


Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Primeiramente eu queria muito te parabenizar pelo texto maravilhoso, sério mesmo.

    E sabe? muitas das coisas que você citou no texto eu me identifiquei pois também sou assim, na verdade vi me dar conta sobre essa tal intensidade a pouco tempo e as vezes achava (ainda sinto um pouco disso) que isso era algo ruim e me perguntava por que eu era assim, por que coisas tão bobas me afetavam tanto emocionalmente e hoje eu compreendo mais e consequentemente sinto ainda mais minha intensidade e hoje sei valoriza-la por ser algo tão bom de se ter.

    www.paginasamais.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh muito obrigada <3
      Eu entendo sobre o que você tá falando, esse desconforto e todas as coisas que você citou, eu sentia igual. Parece que a partir do momento que a gente reconhece a nossa intensidade, fica mais suscetível a ela. Mas quando a gente aprende a lidar com ela, é a coisa mais maravilhosa porque ao mesmo tempo que a gente sente muito coisas pequenas, a gente dá muito valor às coisas na nossa vida.
      Obrigada pelo comentário lindo.
      Um beijo!

      Excluir
  2. A gente aprende aos poucos que sentir demais não é ruim, na verdade, é uma das coisas mais bonitas e sinceras que vamos encontrar no mundo. E vale tanto sentir, se aprofundar, intensificar as coisas, os sentimentos, as atitudes ♥ Adorei o texto, tá leve, sincero e bem você.

    ResponderExcluir
  3. Que texto incrível.
    Eu sempre senti DEMAIS, tomei todas as dores, culpas e sempre enxerguei isso como algo negativo. Porém, hoje, percebo o quanto isso é meu.. e aprendi a gostar e aceitar ser intensa =D (mesmo me prejudicando na maioria das vezes rs)

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo, me representa! Amei conhecer o blog :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo! Acho que essa história é bem inspiradora. Eu me identifiquei muito com você. Eu também me sentia/sinto mais sensível com coisas que passam meio despercebidas para os outros. Eu gosto dessa sensibilidade :)

    https://blogmilenediniz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e até a próxima!