Eu não sou essa mulher

05/11/2016

Foto: rebloggy.com


Eu não sou essa mulher da música mais tocada. Eu não sou cem por cento forte, eu não sou dura na queda, eu não abalo as estruturas ao entrar no restaurante. Eu não roubo olhares dos homens, nem admirações das outras mulheres. O meu vestido não chama atenção, a minha roupa nem sempre delineia meu corpo. O meu batom nem sempre é vermelho e o meu olhar, dificilmente é marcante.
Eu sou aquela ali, que tem a conversa estranha, que fala de coisas profundas, que usa a saia rodada, a saia justa, calça jeans e short com tenis. Que de rosto é completamente comum, os olhos não são claros e infinitos, nem escuros e profundos, são só comuns, tal qual o nariz, o maxilar, a bochecha sem covinhas, tudo muito normal, tudo muito comum.
Eu não faço o tipo confiança acima de tudo, solteira sim sozinha nunca, eu sei que você me quer. Eu não faço questão de tentar mostrar que eu sou espetacular, de ensinar ninguém, de colecionar corações partidos e de disputar coisas com outras mulheres.
Eu me dou o direito de ser inteiramente normal, de ser eu mesma, vezes firme, vezes insegura. Transparente, sem joguinhos. Que não se maquia muito porque não sabe, acha bonito, mas também não faz questão. Que lê e que conversa sobre o que lê. Que curte o lirismo das situações, que observa de fora como é, aparentemente, vazia a vida de algumas pessoas, mas se questiona sobre o que habita dentro delas ali mesmo durante a festa. Aquela que é indiferente com o padrão da maioria, mas que não faz questão de ser a diferentona.
Eu sou daquelas que não é tempestade, mas também não é calmaria. Que não tá nem vendo para o que causa em você. E que apesar da silhueta, não faz questão da sensualidade. Que não é a rainha sedução, mas também não é princesa da Disney. Que não faz questão de uma reputação, que mal ou bem mas falem dela, ela só quer viver a própria vida, tranquila e devaneada às vezes.
Eu não faço questão de ser lembrada, e não to afim de ser exemplo, nem modelo, nem espelho para ninguém. Só quero respeitar os meus limites e deixar claro que tudo bem pra mim não ser a garota daquela canção que todas insistem em postar nas suas redes sociais para tentar demonstrar que elas são todas – igualmente – “excepcionais”. Eu sou só eu mesma, o que pra mim já tá de bom tamanho.
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Lendo esse texto pela "milhonésima" vez.

    Repito: seja sempre a Nay <3

    www.reinodaspalavras.blog.br

    ResponderExcluir
  2. Ah, esse texto é maravilhoso ❤

    Eu simplesmente me apaixonei por cada detalhe desse texto, juro. Não tem como não querer compartilhar ele com o mundo. Seja sempre você, é a melhor coisa que você faz!

    Carol | Pink is not Rose

    ResponderExcluir
  3. Que coisa mais gostosa de se ler! <3

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e até a próxima!