Be Yourself

28/03/2015

Eu sempre fui muito sonhadora, desde criança, é uma coisa que me acompanha por toda minha vida e que honestamente acho que nunca sairá de mim. Todo mundo tem em si sua personalidade, por isso a diversidade é tão boa, por isso também que nem todo mundo gosta de todo mundo. Cada um vai crescendo, amadurecendo e cria um caráter baseado na forma na qual foi criado e das experiências que viveu.

Há alguns meses, duas de minhas melhores amigas vieram até mim e despejaram o quanto me achavam imatura, pode parecer bobagem, mas isso doeu muito e me afetou bastante também. Fiquei mal e pensando no quanto eu poderia ser desagradável e que talvez ninguém gostasse do meu jeito. Isso me deixou bastante insegura, tanto quando estava entre elas, quanto com outras pessoas. Porque eu penso que se um estranho critica você pelo seu jeito, você não deve ligar muito, afinal é um estranho, mas se uma amiga te “joga pedras”, alguma coisa está errada (e eu levei tudo em consideração o que elas disseram).

O que estou querendo dizer é que somos assim, temos uma personalidade única, muitos vão nos amar por isso, outros nem tanto. É aí que entra a questão do respeito, mas isso é outro assunto né? O fato é você estar bem consigo mesmo (a). Antes de todo mundo, você tem que amar a si próprio, porque se você não fizer isso, como espera que alguém faça? Tem que se olhar no espelho e além de se achar bonita, imagine todas suas qualidades e diga “você é um máximo, uma grande pessoa”. Como havia dito a meu respeito, sou sonhadora pra caramba, até demais mesmo e são sonhos muito bobos para na maioria das pessoas (mas que pra mim são importantes), e que por serem “bobos”, acabo sendo criticada diversas vezes (como pelas minhas amigas). Vou explicar onde está a ligação disso tudo, “sonhos + imaturidade”. Bem, minhas amigas acham que meus sonhos são imaturos, simples. Disseram coisas na qual queriam que eu me transformasse, numa “mulher adulta com responsabilidades porque estou na faculdade e não mais no ensino médio”. Pois bem, cada um tem que ter o senso de drama, maturidade, ridículo e etc., nada em exagero é bom. Mas e se talvez eu não estiver preparada ainda? Eu tenho 17 anos e gosto de ser adolescente, o fato de eu estar na faculdade não quer dizer que seja adulta, posso muito bem ser responsável e ainda sim tomar banho descalça na chuva! Qual o problema? Não serei menos mulher por fazer isso. Ou por um acaso serei menos adolescente por estar na faculdade? Enfim…

Sintetizando, quero dizer que você não precisa ser um molde do que as pessoas querem que você seja, não deve agir para agradar todo mundo sempre, isso não existe, uma hora haverá alguém que não irá gostar de você, ou de quem você finge ser para agradar. Então pra que se dar ao trabalho de interpretar o tempo todo um alguém que você não é para deixar os outros aparentemente felizes? Claro também que você não vai sair por aí falando tudo o que vem à cabeça. Você pode ponderar suas atitudes e mesmo assim ser você mesmo (a). Muitos podem não gostar de algo em você, mas não quer dizer que não possam gostar de outras coisas. Volto a falar das minhas amigas, elas não gostam da minha imaturidade, por exemplo, mas com certeza gostam de algo mais em mim, por isso são minhas amigas. Elas também têm seus defeitos e eu não canso de falar, que não gosto do jeito rude com que a J. expressa a opinião dela e também não gosto quando a D. não presta atenção ou não se lembra do que eu falei semana passada .Mas independente disso as amo muito e se agem dessa maneira é porque não sabem fazer de outro jeito. Então não se preocupe se alguém não entender o motivo pelo qual agiu daquela forma aquele dia, ou porque está fazendo tal coisa. Contanto que você apenas esteja sendo você, tudo ficará bem depois. Todos nós fazemos coisas das quais não nos orgulhamos e na maioria das vezes fazemos por causa de atitudes de outras pessoas que nos magoaram ou nos afetaram de algum modo, fazendo com que mudemos em algumas coisas. Daí acaba tendo vezes em que chegam certas pessoas e dizem “você mudou”, “eu gostava mais de você antes”, “sinto falta da antiga ‘fulana’” e lá vai você de novo se perguntar o que tem de errado em você. Tire isso da cabeça, sua personalidade é sua e ela tem todo direito de mudar de vez em quando. O ser humano vive, quebra a cara, faz de novo, se dá mal, aprende e aí sim muda. Estamos condenados a mudanças cotidianas, também vou mudar, vou amadurecer, não sei quando, mas sei que vou. Por isso, CARPE DIEM, viva o que tiver de viver hoje, faça o que tiver de fazer, não espere amanhã para ligar pra alguém, pedir desculpas, visitar quem tem vontade, agradecer, ou simplesmente ficar em casa.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e até a próxima!