Domingo, amigos e fotos! Nosso ensaio – part I

19/09/2017


Em um domingo de sol, eu e minhas amigas saímos para fotografar na estrada aqui da minha cidade. Nesse dia eu conheci melhor essa pessoa incrível, o Adryan, que além de um excelente fotografo é uma pessoa maravilhosa!

Fazia tempo que a gente queria tirar fotos juntas, mas da última vez que nos reunimos minha câmera simplesmente quebrou. Postamos umas fotinhas e mesmo assim o Adryan ficou super animado quando viu. Então a gente criou um grupo pra combinar as fotos e agora a gente anda juntos no recreio hahaha

Eu tava com um bloqueio em relação à fotografia, não gostava do que produzia, acho que isso foi acontecendo por problemas que nem tem muito a ver com a fotografia em si, mas com outras coisas que indiretamente tropeçam nas coisas que gostamos quando não nos sentimos bem.

Essa tarde nem o calor imenso, nem os desencontros, nem a dificuldade em escolher os looks nos impediram de ir. Quando tava quase tudo pronto eu comecei uma animação que não sentia há muito tempo. Fiquei ansiosa a cada instante que a gente ia se aproximando do local combinado, quando escutei o primeiro clique, foi como se tivesse acendido algo novamente em mim.

Esse foi de longe um dos melhores domingos que já tive há tempos, graças a essas três pessoinhas que me proporcionaram uma tarde incrível de risadas, brincadeiras e muitas fotos!

Agora vou compartilhar com vocês a primeira parte do nosso ensaio. Fizemos uma troca de roupa, então o segundo look fica para um próximo post. Espero que gostem, pois eu, estou muito feliz em voltar com os posts de fotografia.


Olha que anjooo!

Adryan Carvalho


Deixei de ser sua opção para me tornar a minha prioridade

16/09/2017

Foto: Google

Sabe, eu cansei. Cansei de todas as vezes que eu fui atrás de você e você me deixou ali por sentir todas aquelas coisas sozinha. Cansei do seu silêncio. Cansei das vezes que você me deixou partir e disse que a escolha era minha.

Descobri que você tinha razão, que entre o ficar e o ir, eu é que tenho que decidir e eu resolvi ir embora. Tenho certeza que no começo você não acreditou que aquela partida seria para sempre, mas mais certeza ainda tenho sobre a sensação que você teve no momento em que percebeu que dessa vez eu tava falando sério.

Sinceramente o que menos quero é que você me procure para me falar das coisas na qual se arrepende. O quanto você poderia ter feito mais aqui ou ali no momento que eu estava do seu lado. Quero que você me deixe partir. O que mais desejo agora é encontrar o rumo certo da minha própria vida.

Eu cansei de ser objeto dos seus planos. Cansei de doar meus finais de semana, o final dos meus dias e todas aquelas horas que eram tão preciosas pra mim, pra que você optasse por fazer o que desejasse – que na maioria das vezes, era nada.

Cansei de sentir que estava sendo deixada de lado. De ver meus sentimentos serem tratados com tão pouca importância. Cansei de você me destratar até quando eu preparava coisas tão cheias de amor. Cansei de tentar te dar o meu melhor e você agir como se ele fosse tão pouco.

Eu sei bem que o que eu tenho pra dar. E sei que o que pra você foi uma gota, para a pessoa certa será como um oásis no deserto.

Quero que olhe para frente e veja adiante porque apesar de tudo, desejo seu melhor. Não olhe para o que você perdeu, se quer para o que ficou para trás, porque sei que nossos caminhos não se cruzarão a partir de agora. Eu precisava tomar de volta o controle da minha vida e sentir que eu estou viva, caminhando dia após dia com meus próprios pés para chegar a algum lugar.


Eu descobri um mundo inteiro a explorar. Muita gente para conversar e coisas lindas para se ver. Disso eu já sabia, só que agora eu não quero mais ao seu lado, porque depois de tanto chorar tomei um bom banho e ao olhar no espelho vi o reflexo de quem realmente merece o meu melhor.

Portfólio: Nalanda

07/09/2017

   A gente some, mas a gente sempre tá fazendo alguma coisa!

   Esse final de agosto e início de setembro foi um período beeem corrido pra mim, mas não pense você que me acompanha que eu me desliguei do blog não. Eu estava louca pra postar coisas novas aqui, textos e outros projetinhos que estou planejando e acho que vocês vão gostar bastante.

   A princípio quero mostrar pra vocês um ensaio que fiz no parque de diversões. A mocinha das fotos se chama Nalanda (nome lindo, né?). A Nalanda vai fazer 15 anos daqui há uns meses e mãe dela já começou a produzir tudo bem adiantadinho. Eu fiquei de colaborar com a fotografia, mas nesse meio-tempo minha câmera me deixou na mão.


   Eu fiz apenas o primeiro ensaio dela e vou mostrar pra vocês uma prévia do resultado.



Me descobri poesia

22/08/2017

Imagem: Pinterest
   Quando era mais nova eu tinha a sensação que prestava atenção em coisas que ninguém mais ligava. Era vulnerável demais às situações que eu passava e isso geralmente me empurrava para algum lugar – ou melhor, sentimento. Tudo era sempre intenso em mim, inquieto demais, por isso desde cedo foi importante que eu aprendesse sobre autocontrole e resiliência.

   Por um longo tempo foi um sufoco lidar com as minhas facetas. Eu não sabia encarar a minha intensidade. E o pior, me culpava por ela. Não entendia por que cargas d’água tinha que sentir tudo daquela forma.

   Sujeita a reparar nos detalhes e ver o que tá ali, por entre as entrelinhas. Sensitiva, com sentimentos muito fortes. A forma como as pessoas e o mundo acontecem é o meu fascínio e eu fico ali refletindo sobre tudo o que vejo. E foi amadurecendo que eu aprendi que isso nada mais é que a poesia dentro dos meus olhos. Sou sujeita a emoções assim, para poder falar sobre sentimentos.

   Foi assim que eu escrevi um texto pela primeira vez. Depois de um desentendimento com duas das minhas melhores amigas e já não aguentava ouvir que meus sentimentos eram drama. Então eu só escrevi e não parei mais. Hoje fazem seis anos que publiquei meu primeiro texto. Sei anos escrevendo saídas.

   Eu nasci pra sentir demais, para que todas as situações na qual eu passasse se tornassem, no fim, respostas. Às vezes a gente sofre pra aprender e poder ir contar a outra pessoa a resposta pra que ela não sofra tanto quanto nós. Antes era complicado, mas hoje eu desejo mais que qualquer coisa preservar essa sensibilidade dentro de mim. Isso que é tão meu.